27 de abr de 2006

Entrevistei também esse maravilhoso escritor..




Agência Cinema - Em qual Estado você nasceu?
Resp: Minas Gerais

Agência Cinema - Como começou sua paixão pela arte?
Resp: Por mais de vinte anos fui um empresário de sucesso.Tive altos e baixos, mas sempre achei que meu mundo era negócios.Comecei a escrever minhas histórias e descobri que minha verdadeira vocação era pelos livros.É mais que paixão, é amor maduro e verdadeiro.

Agência Cinema - E quando você começou a escrever?
Resp: Em 2001 escrevi meu primeiro livro, continuei escrevendo outros, mas só em 2005 resolvi apresenta-los a uma editora, que gostou e publicou.

Agência Cinema - Faça uma abordagem de sua infância e as relações que ela mantém com sua literatura?
Resp: Tive uma infância típica de um garoto hiperativo de classe média do interior.Dificuldade em aceitar algumas regras, principalmente na escola.Preferia o convívio com pessoas místicas, ou que a sociedade conservadora da época não aceitava.Fantasiava um mundo livre, aonde eu pudesse mostrar o valor dos sonhos destes excluídos para substituir a hipocrisia dos que se diziam donos da verdade, mas mentiam a toda hora.Quando percebi que por força da matéria eu estava amarrado ao lado dos mentirosos, desatei o nó e recuei.Encontrei na literatura uma maneira de contar as pessoas que é possível recuperar e viver os bons sonhos a qualquer instante da vida.Vale o preço que a sociedade exige.

Agência Cinema - Como foi a sua formação?
Resp: Criado em uma família católica e praticante, meus primeiros anos foram todos pautados pelos dogmas da Igreja Católica.Estudei em colégios comandados por padres, freiras. Indagava sempre o porque de não praticarem aquilo que ensinavam e cobravam, sem respostas.Rebelei-me. Não parei de ir atrás das verdadeiras respostas para minhas duvidas. Acabei encontrando muito mais ensinamento fora do colégio.Resolvi ser um autodidata.Tenho sede de conhecimento, mas nunca fico preso a uma única resposta.Creio que vou até o fim de meus dias procurando aprender: com pessoas que viveram aquilo que ensinam, com a natureza, e com a intuição de que eu já vi este filme.Quando esta vida terminar estarei formado e pronto para ingressar em um novo curso, este é o meu sonho maior.

Agência Cinema - E como é que se manifestou teu interesse pela palavra escrita ?
Resp: Notei que escrevendo eu era melhor compreendido do que narrando.Atinjo a muito mais pessoas e com isto aprendo através das manifestações delas o que é bom e o que é ruim em mim.

Agência Cinema - Fale do seu despertar para a leitura?
Resp: Meu pai só tinha o curso primário, mesmo assim lia o Estadão todos os dias - da primeira pagina aos classificados.Respondia a questões complicadas e estava sempre atualizado em todos os assuntos.Eu sempre gostei muito de esportes, comecei a perceber que eu levava grande vantagem ao discutir sobre o tema, quando lia o caderno de esportes.Descobri que era através da leitura que meu pai adquiria os conhecimentos necessários para suprir a falta de estudos e manter-se sempre atualizado. Segui o caminho, leio de tudo.

Agência Cinema - Cite e comente os escritores de sua predileção.?
Resp: Richard Back. Temos algumas coisas em comum: a cumplicidade de uma companheira, paixão por aviação, amamos escrever e acreditamos que não estamos só neste imenso universo.
Arnaldo Jabor. Não aceita o sistema, mas sabe que para combater é necessário ter boas armas, sabe usar como ninguém as melhores armas do adversário a favor da causa que defende.
José Saramago.Transforma o leitor em personagem, e com esta capacidade dá o recado direto na mente e no coração de quem o lê.
Poderia citar outros, mas os três que citei, são suficientes para compor o que penso da vida : sonho, luta pelos ideais e finalmente a transformação do ser.

Agência Cinema - Depois de ter publicado seus livros, como você vê a política editorial brasileira?
Resp: Sou estreante, preciso vivenciar mais, qualquer comentário agora poderia ser leviano.Mas certamente terei mais a dizer com o decorrer do tempo.Aprendo rápido.

Agência Cinema - Já virou lugar-comum dizer-se que o brasileiro lê pouco. O que pensa a respeito?
Resp: Acho que o brasileiro tem poucas oportunidades em tudo, se tivesse chance de praticar e criar o hábito da leitura, tenho certeza de que a maioria deixaria de ser massa de manobra.

Agência Cinema - Como você vê o ensino em nosso país?
Resp: Muito longe de atender as aspirações e principalmente de criar no jovem o desejo e a curiosidade, que a meu ver são os impulsos necessários para se desenvolver o aprendizado e conseqüentemente um conhecimento de qualidade.

Agência Cinema - Se alguém te perguntasse, com toda objetividade, que papel tem o escritor na sociedade humana nos dias de hoje, que responderias?
Resp: Alguém já está me perguntando com toda a objetividade e a resposta é: Escrever simples, mas de forma a cativar mais um para o fascinante mundo dos livros. Tudo que a humanidade inquieta busca, em algum livro a resposta está escrita.

Agência Cinema - quanto tempo trabalhou em cada livro
Resp: Em média três meses para escrever, vários anos para viver a história.

Agência Cinema - E esse processo de trabalhar um livro como é que é? Diário?
Resp: Não, as histórias acontecem a cada momento da vida. Os personagens vivem o dia a dia, mas passar para o papel é o mais prazeroso e por isto dou um intervalo grande entre o fim de um livro e o começo do outro, porque quando começo a escrever uma história não consigo mais parar até que ela chegue ao fim.

Agência Cinema - Não há nenhum perigo numa tão grande preocupação com a palavra exata?
Resp: Não. Sou aventureiro por natureza.

Agência Cinema - A noite é uma grande companheira?
Resp: À noite, o dia, a tarde, o por do sol, todos são meus grandes companheiros.

Agência Cinema - E escrever, o que tem escrito?
Resp: Uma grande história, um romance, aonde a intransigência das partes, põe em risco o que era um excelente relacionamento. Um erro é seguido por outro, espero que acordem a tempo.rsrs

Agência Cinema - O que gosta de fazer quando não está escrevendo?
Resp: Conversar com gente disposta a me ensinar sobre o movimento das marés, porque a duna com a ajuda do vento vence sempre.Andar por lugares aonde poucos se dispõe a ir, falar com excluídos do sistema, mas integrados a natureza humana.Enfim ir atrás de uma nova história hoje para escrevê-la amanhã.

Agência Cinema - Quando escreve, você chega a mostrar os originais para outras pessoas?...?
Resp: Sim. Minha mulher adora ver meus manuscritos.

Agência Cinema - Depois de escrito, você retoma muitas vezes ao texto?
Resp: Não, raramente releio o que escrevi.

Agência Cinema - Já chegou a alterar o sentido de uma idéia?
Resp: Não daria certo. A história é primeiro concebido e na maioria das vezes vivida. Alterar o sentido da idéia seria o mesmo que tentar mentir a mim mesmo.

Agência Cinema - O futuro, como o imagina?
Resp: Com muito otimismo, ouço dos mais velhos que a vida deles no passado foi muito dura.Espero continuar a ter a mesma opinião sobre a minha: Hoje melhor do que ontem e pior do que amanhã.

Agência Cinema - Como acha que se deve estimular a leitura entre as crianças nos dias de hoje, com tantas atrações como videogames, TV, shoppings?
Resp: A concorrência é desleal, mas acredito que com sabedoria poderemos usar as armas deles em nossa batalha.Livros mais divertidos, porém com informações que lhes sejam úteis no dia a dia.Depois que viciarem na leitura, eles mesmo serão soldados nesta revolução.

Agência Cinema - Onde podemos encontrar seus trabalhos?
Resp: A maneira mais pratica é através dos sites como: Americana.com, Melhoramentos, Submarino, rede de livrarias como a Paraler, Imperatriz etc.

Nenhum comentário: